Feminismos e Performatividade: ensaio sobre Filosofia, Psicanálise e Gênero

Fernanda Martins, Augusto Jobim do Amaral

Resumen


O artigo visa a apontar as constituições sociais dadas pelo masculino universal, vértice de formas de pensar hegemônicas e baseadas na colonialidade etnocêntrica, no racismo e no sexismo, na separação corpo/mente e na primazia do pensamento abstrato universalista. Portanto, propõe abrir certas fissuras às vozes silenciadas, para que se possa romper as angústias do recalque do lado obscuro de nós mesmos, possibilitando, quem sabe, uma releitura transversal para compreender nosso tempo com a ajuda de fatos e gestos das sociedades passadas, como possibilidade de burlar a repetição e estabelecer a ética e a justiça como reais suportes do agir.

Palabras clave


Feminismo, Justiça, Psicanálise, Gênero, Performativo

Texto completo:

PDF


Universidad del Zulia /Venezuela/ opción/ revistaopcion@gmail.com /ISSN: 1012-1587/ ISSNe 2477-9385


Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 3.0 Unported.